Dos dias de calor

É, mais um texto falando do maldito calor que tá fazendo nessa maldita cidade. Não vou nem pro lado da(s) cratera(s) na camada de ozônio, seguindo pelo derretimento das calotas polares, emissão de gases poluentes, muito menos tratados de Kyoto, Genebra ou Versalhes. Vou falar simplesmente de algo que me deixa pirado, o calor.

Porque, na boa, ta fazendo calor pra caralho.

Você é um sortudo que tem ar-condicionado em casa, no carro e no trabalho? Você é um daqueles branquinhos ensebados de olhos verdes que podem correr uma maratona sem derrubar uma mínima gota de suor? Você é uma menina, esses seres extraterrenos que parecem não transpirar? Pior: você gosta de calor? Parabéns, você tem motivos pra ser feliz.

Você não é nada disso e ainda depende do nosso transporte público ineficaz, lotado e fedorento? Parabéns, você está fodido.

Eu, que até uns 14 anos fui um gordinho bochechudo, ainda hoje sofro as conseqüências desse mal. Porque todo mundo sabe: gordo sofre muito mais com calor do que magro. Não é só o fato do incômodo desgraçado que as altas temperaturas causam no corpo, mas também as conseqüências diretas e indiretas: gotas nojentas constantemente escorrendo da testa e no vão das costas, pizzas quilométricas nos sovacos, camisas manchadas de suor, suco de reguinho na cueca e aquela feição triste de quem está sempre precisando de um banho. Admita: você nunca vai chegar perto de uma mulher assim. Ela pode até gostar do suor do seu corpo e do cheiro que você exala (ou assim algumas dizem), mas não quando ela te apresenta pras amigas.

Então, ainda que em graus bem menores, existem no meu DNA esses resquícios de gordura sacanas que insistem em me emputecer nos dias de sol escaldante, ou seja, praticamente nos 365 dias nesta nossa bela e besta província. Porque aqui em Salvador, mesmo quando é frio faz calor (e esse deveria ser o nosso slogan no Carnaval, ia pegar fogo a porra toda!).

Mas o que aconteceu hoje foi lindo, saca só: 8 da manhã, eu e o Caio (amigo mais magro e menos calorento que eu tenho) no ponto esperando o Praça da Sé. Clima desértico, pessoas passando suadas por nós, com aquele brilho característico na testa do sol refletido em suas frontes. Árvores paradas, nenhuma brisa, nenhum movimento, nada. Qualquer agitação desnecessária poderia desencadear uma explosão atômica.

Olho pro Caio. Ele, meio sem ar, morrendo, praticamente suspira:

– Calor demais.

Naquele momento, Caio, o mais ateu entre os ateus, aquele que fala “sou ateu graças a Deus” desde os 10 anos, aquele ser ausente de toda e qualquer crença, levanta os olhos fechados aos céus sem nenhuma nuvem e pede:

– Deus, manda uma brisa aí, na moral.

E como eu poderia descrever o que se passou, se não como um milagre? Começou como um leve movimento na surdina, um farfalhar de folhas, e foi atingindo a todos em cheio. Ventava tranqüilo, quieto, um vento gélido preenchendo o espaço em volta de nós. Ventou e ventou por mais de 10 minutos, e todos estavam em silêncio, aproveitando sem acreditar, ou talvez com medo de que o vento acabasse antes de qualquer um perceber.

Não sei se na cabeça do Caio surgiu alguma fé maior, mas olhando de canto de olho deu pra ver que ele juntou as mãos, olhou pra cima e murmurou algo parecido com um obrigado. O Caio! Quem diria.

Anúncios

11 Responses to “Dos dias de calor”


  1. 1 borba 09/03/2010 às 6:38 pm

    Obs.: Assim que terminei este texto começou a chover espetacularmente em Salvador.

    • 2 vanescaff 12/03/2010 às 8:58 pm

      Se chuva fosse sinal de refresco na temperatura eu estava feliz, mas nem é. E olha que tenho arco no carro, quarto, trabalho, mas tem os trajetos que a gente faz para alcançar tais destinos.

  2. 3 morganamcl 09/03/2010 às 11:38 pm

    Chuva essa que em 15 minutos conseguiu alagar vários cantos.

  3. 4 jessica rampazo 10/03/2010 às 10:58 am

    “Você é uma menina, esses seres extraterrenos que parecem não transpirar?”

    Eu suo pra cacete. Então devo ter um pênis no meio de minhas pernas.

  4. 7 Lanzo 10/03/2010 às 11:06 am

    Eu sou sortudo! =)
    tenho ar-condicionado no carro, no trampo e na faculdade.

  5. 8 Tatiana 11/03/2010 às 11:14 pm

    Cara, Deus gosta dos ateus pq eles não enchem o saco dele pedindo coisas… daí que dessa vez ele fez um agrado. HAHAHAHAH. Muito bom.

    Esses dois dias de SP fizeram sol idêntico ao de SSA. Tô puta. Mas ao menos a noite é fria =]

  6. 9 Netow 15/03/2010 às 11:52 am

    É verdade, Salvador é literalmente o Inferno e aparentemente só piora a cada ano. Eu sinto este calor insuportável citado no texto, trabalho de roupa social(calça, camisa social e gravata) e ainda pego ônibus. Vou morrer um dia desses. :-/

  7. 10 Renan Alfaia 16/03/2010 às 12:03 pm

    realismo fantástico.


  1. 1 Um lugar chamado Nhô Caldos « Borba a ruir Trackback em 17/03/2010 às 9:25 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Mais Lidos

@borbaruir

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Arquivo


%d blogueiros gostam disto: